domingo, 3 de maio de 2015

Untwine: O Regresso do Feminino - o que é que isso significa?

Tem havido muita conversa, e por boas razões, sobre o regresso da verdadeira energia feminina, ou Divino Feminino, a este planeta.

O que significa isto? Esta é uma questão importante porque, durante milénios, os Humanos foram muito programados muito em relação a esta questão. Na verdade, esta questão está na origem do sistema de escravidão deste planeta, e é a pedra angular sobre a qual toda a Matriz de controlo foi construída, o que lhe permite permanecer no lugar.

As forças das Trevas esforçaram-se imenso por atacar e distorcer isto de muitas maneiras diferentes, pelo que a programação é muito mais profunda do que aquilo que a maioria das pessoas pensa mesmo para aqueles que estão, até um certo ponto, despertos. Dessa forma não poderá haver muitos progressos no processo de libertação se não aprofundarmos esta questão

Sabemos que, à muitos milénios atrás, certos seres foram desconectado da Fonte Criadora. E nós sabemos que eles têm manipulado este planeta, envenenando a nossa comida, água, ar, arte, estrutura social, etc. Por isso gostaria de pedir a todos que deixem de lado as razões e as acções que os levaram a isso, visto esse não ser o ponto central deste artigo.

Também vimos em no artigo anterior, Curando com Equilíbrio, como o "feminino é a recepção, unidade, respeito, compaixão, aceitação, desapego, silêncio, quietude. E o masculino é acção, movimento, expressão, individualidade, singularidade, a escolha, o livre arbítrio.

Isto pode ser entendido através da observação da dinâmica dos órgãos sexuais, ou do sol e da lua, assim como outros arquétipos masculinos e femininos.

A lua e a yoni recebem, dão as boas-vindas, seguram, geram passivamente. Esta receptividade é o que permite que tudo seja realizado na Unidade. O sol e o lingam tomam a iniciativa, entram, dão, geram activamente. Esta acção é o que permite o movimento, a partir do ponto A para o ponto B, criando assim a individualidade e a distinção entre o ponto A e o ponto B: cada momento, cada ser vivo é único
".


Consegue ver a ligação? O que aconteceu foi, quando estes seres ficaram desconectados da Fonte, ficaram isolados numa estrutura paralela, artificial, distorcida. Eles foram desconectados da Unidade, que é a energia feminina, e isolados apenas na sua individualidade: o seu próprio mundo distorcido, sem ligação com a bela realidade da qual haviam feito anteriormente parte: eles são parte da Fonte, como seres de Luz que verdadeiramente são, mas que ficaram presos, não podendo receber qualquer ajuda, qualquer Graça.

Isto deve ter sido muito difícil. Eu fico muito triste por eles. Desejo-lhes que em breve, recebam toda a Cura, Graça e Amor que realmente merecem. Pense nisso. Deve ter havido um trauma tão difícil e extremo que deu origem ao comportamento irracional e insano como o que observamos agora na Terra através das suas acções psicopáticas e absurdas, criando sofrimento pelo sofrimento. Isto não é diferente dos psicopatas que vemos nas notícias, comportando-se de forma totalmente irracional porque eles próprios foram fortemente traumatizado. Os Arcontes e outros seres das Trevas não têm nada a ganhar com a criação de sofrimento. Somos todos centelhas divinas, sendo essa a natureza do Criador. Portanto, a verdadeira natureza de todos os seres vivos é Amor, Paz e Harmonia. Portanto, esta é a única realidade válida, a única que faz sentido.

Então, esses seres das Trevas estão apenas a agir irracionalmente pelos seus traumas gerando tanto sofrimento neste planeta. Ao agir dessa forma, eles criam condições semelhantes aquelas em que se encontram, procurando sempre criar uma realidade alternativa desconectada, distorcida e falsa. E na origem disto está, como vimos, a supressão da energia feminina.

De que forma isto se manifesta exactamente?


Eles criaram uma ilusão de separação: a individualidade sem Unidade.

A verdadeira natureza da realidade é que ela é alicerçada na dança entre a individualidade e a Unidade. Entre ser você mesmo e ser parte de um ecossistema (o grande ecossistema, galáctico, universal e abrangente, o Único, o organismo do qual todos somos células individuais com o nosso propósito exclusivos).

Assim, nesta construção criada pelas Trevas, ser você mesmo e parte de um todo ao mesmo tempo é algo contraditório. Homens e mulheres estão em desacordo uns com os outros, as polaridades estão separadas.

Diferenças entre polaridade e dualidade


Um dos programas básicos criados pelas Trevas, é o de confundir a dualidade com polaridade. Não é a mesma coisa de todo. A dualidade é uma luta entre o bem e o mal, entre a harmonia e o sofrimento. A polaridade é uma dança de complementares, de opostos: entre o activo e o receptivo, o masculino e o feminino. A Polaridade é a base da Criação. É a pedra angular sobre a qual tudo se alicerça, a todos os níveis.

Pode ver-se a confusão normalmente feita entre ambos, simplesmente pesquisando as várias definições de yin e yang publicadas na internet. Esta é a manifestação do programa da dualidade, que afirma que as polaridades são incompatíveis e, também, que o sofrimento é necessário porque é uma parte natural de ambas as polaridades. O equilíbrio entre acção e recepção não é o mesmo que o equilíbrio entre a saúde e doença, o bem e mal. A polaridade é a nossa verdadeira natureza, a dualidade é um programa.

http://recreatingbalance1.blogspot.com/2015/02/contingency.html (n.t. ver Untwine: Contingência)

Este programa foi iniciado com acções violentas, acções que não provêm da Fonte, que por definição geram esta construção falsa e não-natural (uma vez que não é proveniente de Fonte).

O programa foi, de seguida, ancorado ainda mais através da implantação de programas incompatíveis entre masculino e feminino: o masculino foi bloqueado no chakra do coração, e o feminino no chakra sexual, fazendo com que pisem os calos um do outros, sem pontos de encontro. Isso gerou todo um sistema de crenças que, por sua vez, contaminou a forma como nos relacionamos com as polaridades dentro de nós (todos nós somos um equilíbrio de ambas), e fora de nós (cada situação é um equilíbrio de ambas). Havendo desequilíbrio, tudo pode ser corrompido. Se houver equilíbrio, existe bem-estar.

Como se conectam as polaridades?

A Sexualidade é a força da vida 

As polaridades ligam-se através da energia sexual sagrada. Dentro e fora de nós. É como a vida é criada e como a vida está ligada à Fonte Criadora. A Fonte está em ambas as polaridades juntas, assim sendo, a sexualidade é a forma como percepcionamos a Fonte: como podemos manifestá-la na nossa realidade. A relação sexual é uma parte importante da sexualidade mas, no entanto, a energia sexual estende-se muito além da relação sexual. Isso é muito natural nas realidades que não foram desconectadas da Fonte. Mas neste aspecto os ataques são constantes, como parte do processo da supressão da energia feminina. Desde o final de 1800, a Cabala perdeu o poder sobre esse processo e não têm sido capazes de suprimi-lo com tanta eficácia mas, ainda assim, um monte de programas foram implantados na Humanidade através de milénios e, mais ainda, quando a Cabala deixou de a conseguir suprimir eficazmente, eles começaram a esforçar-se mais ainda para a distorcer e dessacralizá-la, a fim de enojar e desconectar as pessoas da verdadeira natureza da sexualidade, que é a nossa força vital.

"Como podemos estar sempre à espera de mudar qualquer coisa se não somos capazes de moldar as nossas próprias experiências sexuais e fundamentais? Se continuarmos a sentir-nos oprimidos, reprimidos e vitimado por algo que aconteceu à muito tempo atrás na nossa vida, pelas regras de comportamentos alimentados em nós, pelo direito religioso, os neo-conservadores, os nossos pais, a nossa cultura e os meios de comunicação, como podemos imaginar que conseguimos mudar ou ter influência sobre alguma coisa? Quando nós temos as nossas prioridades definidas e começamos a dizer não à intromissão política e religiosa que se intromete na sacralidade das relações, do prazer e dos nossos destinos espirituais?" (Fonte: Barb Lundgren: Is Sex the Most Important Thing?)

Ilustração de Ines Honfi.

A sexualidade sagrada é uma componente dos Mistérios da Deusa que foram praticados por Jesus, Madalena, os Essénios entre outros. Os seus ensinamentos eram muito diferentes daqueles que são geralmente retratados. A programação é muito mais profunda do que a maioria das pessoas imagina, e por isso, é muito benéfico começar a trabalhar com nós próprios sobre isto o mais rapidamente possível e tanto quanto possível.

A energia feminina, em geral, na nossa vida diária: O que podemos fazer? Como é que ela retorna exactamente?

Ter consciência da Unidade. 

Ouvir. O que acontece dentro e fora de si. Receber as mensagens. Observar. 

Ouça com o vazio real, sem preconceitos a atrapalhar. 

Seja uma página em branco na qual pode escolher o que quer escrever. 

Fique parado. Testemunhe o fogo interior. O fogo masculino a mover-se. Ficar quieto e aceitá-lo, deixá-lo fluir, recebê-lo. 

Ouça com a energia neutra sagrada. Libertar-se de todos os sistemas de crenças e ideias pré-concebidas, para percepcionar com exactidão.

Testemunhar a chama das pessoas. A sua paixão. Estendendo as suas mãos para o Amor. Perceba que é apenas isso: um desejo de Amor.

Ouvir as suas mensagens internas que o informam quando algo é bom para si, e quando algo não é. No entanto, só se pode receber essas mensagens com precisão quando as experiências anteriores e sistemas de crenças não atrapalham. Então, primeiro esvazie-se.

Receba as suas próprias mensagens. Quando ouvir as suas mensagens interiores dizerem “não, não faça isso”, ouça. Testemunhe também o que faz o seu coração cantar, e faça-o. Coloque as suas mensagens interiores em práctica. Ao segui-las, elas vão orientá-lo para o seu maior potencial.

Perceba o desejo de Amor nos outros. O movimento masculino de tentar alcançar algo. Ajude-os a expressá-lo de forma equilibrada e saudável, se necessário, e se puder. Receba as suas acções saudáveis de tentar alcançar algo, o seu amor, aceite-o, acolha-o, abrace-o.

Testemunhe a centelha divina em todos. A sua própria singularidade. Veja o bom que há em si. Receba as suas verdadeiras mensagens internas, as que vêm da sua alma, que lhe dizem para não receber energias doentias, mas não se concentre nisso mais do que o estritamente necessário para ser construtivo. Você pode então, a uma certa distância, concentrar-se na centelha divina que todos temos.

Encontre as pessoas que ressoam consigo. Aqueles com que mais se conecta. Una-se a eles, tanto quanto possível, o mais próximo possível. Criem juntos. Evoluam juntos.

Descubra o equilíbrio das polaridades fazendo ambas estas coisas: observar e empenhar-se com tudo, e escolher e concentrar-se no que deseja criar.

Observe como estamos todos interligados e interdependentes, como o nosso verdadeiro eu têm um papel e um lugar próprios e como, juntos, formamos uma mandala e somos Um.

Ouçam-se uns aos outros, em quietude, vazio e verdadeira escuta. Recebam-se mutuamente.

E, você vai ver: a Deusa voltou.

Juntos novamente em equilíbrio com Deus. Para nunca mais se separarem.

Eles são a Fonte, juntos.