quinta-feira, 11 de junho de 2015

Andrew Bartzis: Remoção de Contracto de Alma para a Libertação do Divino Feminino

 

Eu invoco todos os contractos espirituais que existem:
- no meu passado, presente e Ser futuro,
- os eus e a existência nesta dimensão corrente de tempo,
- e em todos os tempos correntes, acima e abaixo da Terra, centrada na onda senoidal da co-existência.

Neste exacto momento e em todo o presente momento co-criando, Eu proclamo a todas as linhagens de DNA dos antepassados a juntarem-se e criarem um tribunal espiritual de equidade adequada, para que eu possa encontrar a solução e resolver todos os contractos que foram inseridos durante os processos de pré-parto e nascimento.

Eu invoco um tribunal espiritual adequado para ouvir com equidade o meu decreto de destituição de contacto.

Eu revogo todos os contractos espirituais com a Terra baseados em religiões, culturas, sistemas de crenças e indústrias que dominam e controlam o poder do divino feminino no nosso mundo, criando desequilíbrios energéticos que afectam cada homem, mulher e criança no planeta.

Eu invoco todos os ancestrais, de todas as relações de alma, para que mantenham o espaço neste tribunal espiritual de equidade.

Eu invoco a Mãe Terra e todos os seus habitantes internos e externos da Luz a virem à frente e ocuparem este tribunal espiritual de equidade. Oh, grande mistério que é a fonte de todo o poder, eu chamo-te.

Vem com a tua sincronicidade sagrada para que todos os seres possam manter espaço com a consciência da unidade.

Eu revogo agora os contractos com todas as religiões e sistemas de crenças culturais que colocam o feminino em uma posição dominada pela desigualdade. Isto incluem as projecções de desigualdade salarial, a incapacidade para a mulher de ganhar a vida, ser proprietária de terra ou de negócios, ou de receber uma educação da sua escolha.

Eu não consinto o movimento feminista que foi criado e financiado pela CIA para separar a mulher do seu poder divino feminino, de modo a fomentar o ódio pelos homens e criar a separação e divisão na unidade da alma familiar.

Eu revogo agora todas os sistemas de crenças culturais que criam expectativas do "dever da mulher" de modo a mantê-la num encargo irrealista e fazê-la sofrer sozinha e em silêncio.

Eu não consinto que todos os sistemas sociais que tenham sido postos em prática façam da mulher demasiado sensível, ou emocional, ou descontrolada, na tentativa de desfavorecer a alma da mulher e fazê-la sentir-se instável ou insignificante.

Eu revogo agora a todos os contractos de sistemas de crenças culturais onde as crianças do sexo feminino são assassinadas ao nascer, sexualmente mutiladas como um suposto "direito de passagem", vendidas por bilhões de dólares na indústria de pornografia infantil, ou traficadas como escravas sexuais.

Eu não consinto a indústria pornográfica, que tem sido o terreno fértil para os contractos espirituais de perversão sexual, exploração, degradação, vitimização e abastardamento do divino poder feminino.

Eu revogo agora aos seguintes contractos espirituais de perversão sexual, que são direccionados para separa a mulher do seu divino poder feminino:

- Todos os grupos sexuais ou programas de poligamia que são todos a perversão da sexualidade divina, visando a mulher a sentir-se, como se de alguma forma, ela "não é suficiente";

- Todas as normas duplas nos sistemas de crenças culturais onde a promiscuidade sexual recreativa, várias esposas, haréns e amantes são permitidas e celebrada por um homem, e que causam a ruina social da mulher.

- Todos os programas que criam as projecções que os homens colocam sobre as mulheres enquanto se masturbam, bem como as fantasias perversas que são usadas como barreira entre o espaço do coração do homem e da mulher na ligação sexual sagrada.

Eu não consinto estes contractos espirituais de perversão sexual. Vocês não têm qualquer poder sobre mim. Eu declaro que a Mãe Terra está no domínio comigo, assim como a minha família de alma e os meus ancestrais. Eu declaro que agora, eu estou limpa de todas estas projecções de perversão sexual e retorno à Fonte da inocência como um Ser soberano divino feminino.

Eu revogo agora a todos os contractos e conceitos criados na inocência ou em estados ignorantes do Ser. Eu declaro uma nova forma de limpeza espiritual e física. Eu revogo todos os conceitos anteriores auto-criados de limpeza e quaisquer anexos pervertidos para mim mesma. Esta nova invocação de limpeza remove todos os conceitos anteriores da sexualidade sagrada, sensualidade e sexo recreativo. Eu levo-os todos de volta ao ponto zero do feto do útero materno. Eu reconecto todos os meus filamentos de DNA com os batimentos cardíacos da mãe Terra.

O sagrado feminino está ligado ao seu coração no seu espaço sagrado feminino e não nega o seu ciclo menstrual, ela aceita-o como um momento de introspecção, retrospecção e reflexão.

Eu revogo agora a todos os contractos espirituais com a indústria do entretenimento e publicidade que criaram programas de auto-ódio, baixa auto-estima, auto-medicação, auto-mutilação, distúrbios alimentares, etc.

Eu revogo agora a todos os contractos espirituais com a indústria médica que têm prejudicado a saúde da mulher e a capacidade para reproduzir de acordo com as leis naturais da Mãe Terra. Os medicamentos de controle de nascimento e outros produtos químicos na nossa água, comida e no ar que causam esterilidade ou excesso de sexualidade. Bem como a roupa que é prejudicial para a saúde da mulher, como o sutiã, saltos, espartilhos, pés apertados e tampões.

Eu revogo todos os contractos criados através de cesariana, drogas na gravidez, raio-x pré-natal, vacinação, incubações, crianças que não são colocadas no coração das mães após o seu nascimento, e a remoção da placenta e corte do cordão umbilical, que pode ficar intacto até 4 dias, para permitir que o coração da criança se ligue com a mãe e o pai.

Eu não consinto com todos os programas que visam tornar a mulher a sentir-se muito gorda, muito magra, muito velha, muito jovem, muito escura, muito clara, muito étnica, muito rica, muito pobre, ou qualquer outra projecção que faça uma mulher sentir-se que ela não é de alguma forma boa o suficiente.

Eu declaro agora que, Eu sou boa mais que suficiente, Eu sou a consciência infinita. Eu sou Deus-Deusa encarnados. Eu sou um ser soberano e tenho a honra de recuperar o meu divino poder feminino neste tribunal espiritual de equidade.

Eu invoco todos os antepassados para honrarem esta leitura do meu livre arbítrio e inseri-lo no registro Akáshico da Terra, para que todos os tipos sencientes entendam que a nossa liberdade vem em todos os momentos pelo uso do livre-arbítrio.


Fonte: Andrew Bartzis (http://galactichistory.weebly.com/divine-masculinedivine-feminine.html)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

Sem comentários:

Enviar um comentário