quarta-feira, 22 de julho de 2015

Paige Bartholomew: 11 verdades espirituais de uma alma desperta


Nós adultos nascemos num mundo saturado de antigos paradigmas e dogma religioso. De muitas maneiras, esses ensinamentos eram muito bonitos no seu tempo. Mas a humanidade precisa agora de algo mais. Por quê? Porque estamos a evoluir. O "Grande Despertar" que toda a gente está a falar, é um novo nível de verdade que a humanidade está a começar a sentir e a conhecer. 

Esta é a nossa jornada da cabeça para o coração. É a viagem da consciência do "eu" para a consciência de "nós".

Neste artigo vou estar a referir-me a Tudo o Que É como "Deus". Por favor, sinta-se à vontade de substituir este nome pelo termo com o qual se sente confortável.

Cresci num seio cristão: Igreja ao domingo, escolas religiosas... de tudo um pouco. Esses ensinamentos eram muito tradicionais, e até mesmo conservadores. Aprendi muito e recebi uma base sólida de entendimento espiritual. Eu aprendi que Deus é amor. Aprendi a tratar o meu próximo como eu gostaria de ser tratado. Aprendi a dar, a ajudar e a servir. Aprendi a orar. Foi uma bela educação que talhou aquilo que eu sou.

Quando fiquei mais velho, comecei a perceber que a minha compreensão de Deus não era realmente tão reconfortante para mim tal como a minha religião prometeu. A minha visão de Deus como punidor/recompensador estava-me a causar dor e a impedir o meu crescimento.

A minha ideia de inferno era assustadora, e as minhas orações não estavam a trazer os resultados como haviam se sido ditos.

As minhas crenças tradicionais faziam-me por vezes sentir mal comigo mesmo, com o mundo, e sobretudo, com o próprio Deus. Eu estava desconfortável. Sentia-me culpado. Eu via-me como um fracasso. Estava zangado com Deus e sentia-me preso no meu corpo e preso a este lugar difícil chamado Terra.

Nesse ponto, eu tive duas maneiras de ver as coisas.

Ou estava fazendo mal a mim mesmo, errado e indigno (de novo), ou eu estava indo a expandir a minha noção do que é Deus. Então comecei a procurar no meu coração pelas novas respostas.

Tive um grande despertar. O meu coração abriu-se e eu comecei a ver o mundo, Deus, eu e os outros seres humanos sob uma nova lente com vasta expansão de aceitação e amor. À medida que continuamos abrir mais para Verdade, notamos que chegamos a várias estações de consciência ao longo do caminho.


O Grande Despertar está a abrir o coração da humanidade para o grau máximo. E, a partir desse estado aberto, novas e inspiradoras realizações estão a surgir nas pessoas, sobre a natureza de Deus, a realidade, o universo, e os seres sencientes em todos os lugares. Essas ideias expandidas são a vanguarda da consciência humana no nosso tempo moderno.

Quando o coração desperta, ele CONHECE coisas novas. Esses insights são o resultado natural da floração do chakra do coração. A seguir, são as 11 Verdades espirituais centrais que emergem num coração desperto.

1) Deus (TUDO o que É) é o nosso criador. Ele é amor puro. Ele é capaz de apresentar-se pessoal para os seres humanos, mas Ele é, ao mesmo tempo, impessoal, eterno e insondável. Ele é tudo o que está em todos os níveis da existência, física e não-física. Deus e sua criação são UM. Aqui está apenas um Ser.

2) Deus criou primeiro a humanidade, então depois NÓS criamos o mundo e todo o drama que estamos a experimentar nele.

3) Todo o mundo que vemos é um sonho. Na realidade estamos ainda com Deus, no céu - seguros - e estamos a sonhar com tudo isso.

4) Tudo o que experimentamos na vida é um espelho das nossas próprias crenças internas. Deus não se envolve nesse processo. Ele simplesmente permite que isso aconteça porque nós o sonhámos. Este é o significado de "livre arbítrio".

5) Deus não permeia nem castigar-nos. Nós fazemos isso para nós próprios, por julgarmos a nós mesmos como "bons" ou "ruins". Deus simplesmente ama e aceita-nos em tudo o que escolhamos ser, pensar ou sentir.

6) O inferno não é um lugar - é um estado de espírito. É o estado de espírito para onde vamos quando nos desviamos da Verdade. Fez-nos sentir mal porque (equivocadamente) nós acreditamos que estávamos separados de Deus.

7) Não é trabalho de Deus certificar-se se nós sentimo-Lo ou conhecêmo-Lo. Deus está sempre presente. Deus está sempre a revelar-Se a nós. É nosso trabalho abrir-nos à sua presença.

8) A oração é importante mas pode não funcionar da maneira como nos foi ensinada. Deus não concede solicitações. Quando oramos pela ajuda de Deus, nos abrimos para sermos capazes de sentir a Sua presença. As coisas mudam na nossa vida quando nos abrimos para o Seu amor.

9) Deus está sempre connosco. Ele não nos abandona. Nós é que abandonamos Deus. Sonhamos com um mundo que é assustador e separado, esquecendo que estamos nos braços do nosso amado em todos os momentos.

10) Tal como as religiões tradicionais ensinam, existem mundos mais elevados do que este. Como no filme Inception, esses mundos parecem-se como boneca russas - um sonho dentro de um sonho dentro de um sonho...

11) Para se passar para o próximo mundo após a morte é necessário apenas uma coisa: o perdão. Nós não temos que ser perfeitos. Nós não temos que executar gloriosas façanhas de santidade. Nós não temos de nos punir pelos erros que cometemos. Nós só temos que perdoar. Você saberá quando está a fazer isso, porque você vai sentir aceitação de todas as coisas, o que traz uma sensação de tranquilidade. O perdão faz-nos sentir em paz. Então, basicamente, a humanidade está à beira de aprender duas coisas:

         1) que nós somos responsáveis pela nossa própria experiência, e
         2) que a única escolha real na vida nada mais é senão amar e perdoar, ou não.

Eu tenho o poder de escolha.
Eu posso de vez escolher amar e perdoar-me.

O "Grande Despertar" é o processo de ligar o coração humano à sua plena capacidade. Pela primeira vez, a humanidade está pronta a empenhar-se no centro do coração e a amar-se plenamente, perdoando a nós mesmos plenamente, aceitando os outros totalmente, e, finalmente, deixarmos de ter vergonha, culpa, e do inferno que estivemos a viver durante milhares de anos.



Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)