domingo, 9 de agosto de 2015

Untwine: Desfazendo os laços dos Trabalhadores da Luz

O sistema da matriz de controlo neste planeta é um labirinto cheio de oposições falsas criadas para manter as pessoas presas. Essas oposições falsas vêm lindamente concebidas e maravilhosamente expressas em verdades parciais, combinadas com mentiras perigosas. É como uma agradável refeição gourmet com algum mercúrio e fluoreto dentro.

Cada camada da sociedade é preenchida com essas oposições falsas: política, artística, social, etc. Os trabalhadores da luz e os movimentos espirituais estão especialmente cheios delas, porque os trabalhadores da luz têm um enorme potencial, e a maneira mais eficaz para prendê-los em laços, não é pelo uso da força e negatividade óbvias, porque as sementes estrelares treinaram muito para lidar com isso antes de virem para este planeta. Em vez disso, a melhor maneira de prendê-los é em fingir ser-se bom, e envenená-los sem que eles percebam isso.

Uma vez que estejamos cientes dum laço podemos terminá-lo facilmente. Então eu vou 'desfazer' alguns aqui:



"Não olhe para qualquer coisa negativa, não lhe dê energia, você vai torná-lo mais forte e atraí-lo para a sua vida"

Este laço em particular tem sido muito bem sucedido na captura de pessoas.

Mais de 90% da população em geral sobre a Terra nunca deve ter colocado a sua atenção sobre o que realmente está acontecendo neste planeta, sobre os sistemas de controle reais por trás das cenas, simplesmente porque eles nem sequer estão conscientes delas. Têm feito esses sistemas de controle desaparecer? Nem por isso, e pelo contrário até os tornou mais fortes.

Se amanhã, a maioria das pessoas no planeta estiverem cientes do que está realmente acontecendo, o sistema acabaria em poucos dias. Porque o que o sistema realmente precisa é segredo, sem que as pessoas estejam ciente disso.

A um nível espiritual/energético, os verdadeiros ensinamentos falam-nos sobre a consciência.

Precisamos assumir que, literalmente, sejamos implicitamente conscientes em tudo. A consciência é Luz, e consciência transforma a negatividade, porque somos a Fonte/Criador, e quando estamos conscientes de algo, então, o nosso livre-arbítrio começa a trabalhar automáticamente sobre ela, e o livre-arbítrio manifesta a realidade. Mas não podemos ter o livre-arbítrio sobre coisas de que não estamos conscientes.

A Fonte/Criador não é algo que esteja longe de nós, nós somos verdadeiramente a Fonte/Criador, então o nosso livre-arbítrio foi feito para ser a manifestação da vontade divina da Fonte nesta realidade, o que só pode acontecer uma vez que estejamos realmente consciente. Isso também inclui sermos consciente das soluções.


Isto aplica-se não só a nível planetário mas também a um nível pessoal. Muitos Trabalhadores da Luz têm aplicado a ideia de: "ao não colocar a sua atenção em algo, que isso vai embora" para o seu desenvolvimento pessoal, o que lhes tem calhado mal, porque negar as coisas só mantém a Consciência/Luz à distância. Se você tem um quarto escuro na sua casa, você precisa trazer a vela realmente para dentro daquela sala. Se há uma sala à esquerda no escuro, dentro psique de alguém, a energia na sala será desconectada da Consciência/Luz/Fonte, e portanto, vai comportar-se de maneira insensata e nociva, especialmente porque há muitos seres negativos que vão assumir o controle das energias que as pessoas negaram. Então, precisamos recuperar toda a realidade, sermos consciente e usarmos o livre-arbítrio.

"Devemos incidir-nos sobre o interior. A partir interior tudo vai para ao seu lugar."

Enquanto eu concordo que o trabalho interno é central e necessário, eu não concordo com o que faz uma separação ou contradição, dizendo que devemos trabalhar unicamente o interior. Também é importante perceber a nossa Unidade com o mundo externo, e como nós não fomos criados de forma isolada. Nenhum ser vivo pode ser retirado de um ecossistema e existir sem ele. Somos um com o nosso ecossistema (e não só, também com os ecossistemas planetários, galácticos e universais) e, realmente precisamos de receber a partir deles, a partir do exterior, a todos os níveis. Fazendo uma separação entre externo e interno cria-se uma dualidade, e, na verdade, o externo e o interno são Um, e são complementares, que se condicionam mutuamente, e isto vai nos dois sentidos: eventos externos influenciam o interno, tanto quanto o contrário. Ambos são a Fonte e ambos têm um propósito.


"Auto-serviço e serviço aos outros."

Neste ciclo, o auto-serviço é considerado como mau e o serviço aos outros como bom. Isso também cria dualidade de pensamento, separação e contradição entre o "eu" e os "outros". A verdade é que, mais uma vez, somos Um com os outros, isto que significa que, ao servir o seu verdadeiro eu divino, acabamos por servir os outros, da mesma forma que, servir os outros, serve-se eventualmente a si mesmo. Curar-se é estar a servir-se a si mesmo e, é realmente uma parte importante da cura do mundo. O nosso verdadeiro eu divino é puro e, portanto, ao servi-lo é servir a Fonte/Criador, eles são a mesma coisa. Dualidade no pensamento da contradição entre o "eu" e os "outros" cria armadilhas para as pessoas. Enquanto este tipo de pensamento pode ser feito com boas intenções, é importante que a nossa consciência esteja permeada com o pensamento claro da não-dualidade, a fim de evitar efeitos negativos e indesejados nas nossas vidas.

"Quando é que a Fonte e as Forças da Luz vêm finalmente nos salvar?/ Nós temos de fazer tudo por nossa conta."

Estes são os dois lados da mesma moeda, e eles também pertencem à dualidade de pensamento semelhante aos dois laços anteriores. A verdade é que todos nós somos a Fonte, portanto, nós somos Um, e todos nós temos um propósito único. Precisamos, portanto, de ambos: receber ajuda, porque os outros têm um papel a desempenhar, e também participarmos nós mesmos, porque nós também temos um papel a desempenhar.

E claro, existe o maior de todos os laços: as leis do karma, que eu abordei neste artigo anterior.

Vou aqui acrescentar que as leis do karma, são o reflexo energético da dívida do sistema financeiro no plano físico. Elas são uma e a mesma coisa, e elas vêm da ideia falsa de falta/escassez. Basicamente, elas afirmam que as coisas ruins têm de ser reparadas e as coisas boas devem ser merecidas, o que não é de todo verdade. A verdadeira natureza da Fonte/Criador não é má, ela é a deusa pura do amor e perdão em abundância ilimitadas. Portanto, quando há conexão com a Fonte, as soluções para as coisas ruins são dadas livremente sem a necessidade de ser merecido ou pago, e as coisas boas são sempre concedidas, no qual, o verdadeiro significado do perdão: as soluções e as coisas boas são para Serem Dadas, ou seja, concedidas. 

A chave principal para ficar-se fora dos laços é estar-se aterrado a todo o momento nos princípios básicos da criação, tais como: Equilíbrio, respeitar ambas Unidade e Unicidade, saber que a vida é concebida com pura bondade e harmonia, e que tudo é a Fonte. Então podemos questionar tudo a partir do discernimento efectivo e fundamentado, para que possamos desempenhar o nosso papel de implementar a vontade divina nesta realidade.



Fonte: Untwine (http://recreatingbalance1.blogspot.pt/2015/07/ending-lightworkers-loops.html)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

Sem comentários:

Enviar um comentário