terça-feira, 10 de abril de 2018

Ishtar Antares: O Reino Subterrâneo de Luz


No tempo da Atlântida, há 25000 anos atrás, quando a Terra tornou-se num planeta sob quarentena durante a ocupação das forças das trevas, uma parte das Forças da Luz retirou-se da superfície e construiu uma civilização com muitas cidade de Luz interconectadas num vasto sistema de túneis. Nessa cidades Atlantes, os seres seguiam o seu percurso espiritual sob a direcção vigilante do Rei do Mundo, o Senhor Sanat Kumara. Este Reino de Luz é conhecido pelo nome de Agartha ou Shambala, e não deve ser confundido com Shambala que existe no plano etérico desde a Lemúria, e que serve como um farol espiritual da civilização subterrânea.

Na Agartha subterrânea, as pessoas viviam em harmonia com o mundo espiritual e a avançada tecnologia Atlante, que servia para o seu bem maior. Cada um deles conhecia o seu propósito maior e seguiam-no, então, eles viviam entre si relações harmoniosas. Até ao dilúvio final da Atlântida, eles foram protegidos contra ataques das forças das trevas que também construíram as suas fortalezas em certas áreas subterrâneas desde então. Depois do dilúvio tudo mudou. As forças das trevas começaram a atacar Agartha tal como diz o livro sagrado Tibetano Dzyan: "haviam lutas entre construtores e destruidores e lutas no espaço".

 

As Forças da Luz foram forçadas a deixarem muitos territórios os quais tinham habitado anteriormente. Os sistemas de túneis subterrâneos circulavam todo o planeta. A rede de túneis ocidental tinha o seu início sob o deserto de Atacama no Chile e iam em direcção a Tiauanaco (Bolívia) - Cuzco (Peru) - Monte Shasta (no estado da Califórnia) - Grand Teton (no estado de Wyoming), sob o continente Americano e sob o oceano Atlântico até à cordilheira do Atlas na África ocidental, e sob as cordilheiras de Ahaggar/Tibesti (Argélia e norte do Chade) até à sua estação final nas pirâmides de Gizé.

Um dos centros importantes foi sob Mato Grosso na região do Brasil, onde Agartha tem forte conexão com as cidades Atlantes na superfície. A rede dos Himalaias foi de extraordinária importância. Onde as civilizações subterrâneas se desenvolveram como uma cópia da colónia Atlante que existiu na superfície, área onde é hoje o deserto de Gobi. Claro que não havia nenhum deserto nessa altura, era um paraíso subtropical. A rede dos Himalaias tinha a sua fonte sob o deserto de Gobi, que e se expandiu sob o deserto de Takla Makan, e depois adiante, sob Pamirs (Tajiquistão), Altai (Rússia/China/Mongólia/Cazaquistão), Karakorum (Mongólia), Baltistão (Paquistão), sob Kunlun (China) e sob o planalto de Chang Tang até aos Himalaias.


Depois do dilúvio da Atlântida, certos grupos na superfície vieram com importantes descobertas espirituais e científicas, depois retiraram-se nos subterrâneos de Agartha das Forças das Trevas, dado que estes tinham tomado quase toda a superfície. Estes reforços aceleraram progressos científicos e tecnológicos em Agartha, e com a junção de forças, eles desbloquearam os túneis Atlantes antigos, restauraram antigas máquinas e expandiram os espaços subterrâneos originais onde moravam.

Com essas expansões, eles seguiam frequentemente o curso dos rios subterrâneos e as correntes de energia subterrânea. O desenvolvimento da tecnologia era excepcional. Além da antiga tecnologia de cristal Atlante, eles desenvolveram câmaras de tele-transporte e tecnologia de energia livre. Eles conectaram as estas cidades subterrâneas com comboios que utilizam condução magneto-hidro-dinâmica (MHD), com o qual alcançavam velocidades acima das 3000 mph (4828,032 km/h). Eles entraram em contacto com a frota estelar galáctica, que conseguiu resgatar alguns deles da quarentena da Terra. O Movimento da Resistência das Forças da Luz, que tinham as suas bases estelares na Lua, Marte, em asteróides, luas de planetas exteriores e no Planeta X, enviavam reforços a toda a hora.


Durante a Grécia antiga, certos colonizadores viajaram pelo Atlântico até ao Brasil e costa oeste dos EUA, e fizeram contacto com Agartha lá. Muitas culturas antigas que desapareceram sem deixarem rasto (por exemplo, os Maias) de facto, eles moveram-se para o Império de Agartha. Alguns Índios Hopi tiveram contacto com Agartha apenas há algumas décadas atrás.

Em Agartha, a Ordem da Estrela era muito activa. O seu propósito é a cura da separação no planeta Terra e também a conclusão bem sucedida do experimento na dualidade. Os Reis de Agartha foram líderes do Concelho dos Doze e eram uma âncora física das energias de Sanat Kumara. Certos presidentes Americanos e presidentes de outros estados tiveram contacto com os Reis de Agartha durante o seu mandato. Agartha exercia com frequência a sua influência espiritual na superfície, especialmente a rede do Himalaia na região da Índia e do Tibete. Mais de mil anos atrás, representantes da Agartha perto de Gilgit, no Paquistão contemporâneo, espalharam ensinamentos tântricos na superfície. No século XIX, eles influenciaram fortemente os ensinamentos de Helena Petrovna Blavatsky, com quem tinha contacto físico.

No início do século XX, Agartha tinha mais de 20 milhões de membros. Durante a 1ª Guerra Mundial, começou a invasão das forças das trevas. Eles queriam destruir o poder de Agartha. Hordas de guerreiros das trevas, vieram de bases enormes da China, Indonésia, Médio Oriente e África pelos túneis do Atlântico em direcção ao México, e depois pelo sudoeste dos EUA, para limitar a influência espiritual no surgimento da civilização ocidental. Houveram batalhas físicas severas no subterrâneo que se espelharam na superfície como a 1ª e 2ª Guerras Mundiais.

Depois da vitória das Forças da Luz no final da 2ª Guerra Mundial, Agartha virou a sua atenção para o despertar espiritual no ocidente. As forças das trevas lançaram as suas forças para aniquilar a rede dos Himalaias, no qual se reflectiu na superfície pela ocupação Chinesa no Tibete. O golpe das forças das trevas em 1996 enfraqueceu Agartha, e em 1999, Agartha quase que foi apagada dos seus compartimentos subterrâneos. Contudo, no final de 1999, vieram reforços das Forças da Luz através do combatentes do Movimento da Resistência, vindos do cinturão de asteróides e do Planeta X. O Planeta X tem 9000 milhas (cerca 14484 kms) de raio, com superfície de metano congelada, o qual lhe confere uma cor azulada. O Planeta X órbita o Sol numa órbita muito inclinada de 6 a 7 biliões de milhas (cerca de 11 biliões de kms). As forças das trevas tiveram o seu poder máximo entre 1996 e 2003.


A outra parte das forças das trevas são Draconianos, seres humanos do sistema estelar de Alpha Draconis. Desde da Atlântida, eles têm o plano de controlar a massa da população humana, pela chamada Nova Ordem Mundial. Eles usam os políticos mundiais para criarem conflitos artificiais entre nações e incendiar guerras para obterem lucros. Os seus centros de actividade principais são em Washington, Bruxelas e Roma. Eles escravizaram a humanidade com bio-chips programáveis que são inseridos no corpo humano através das vacinas, e com dispositivos nano-eléctricos que controlam e direccionam o pensamento humano. Através dos seus representantes na igreja, maçonaria e grupos ocultos, eles controlam a espiritualidade humana e criam conflitos espirituais. O seu núcleo são os tão aclamados Illuminati, um grupo escolhido que tem o controlo do Sistema na Terra.

Apenas os Illuminati estão directamente conectados com os verdadeiros mestres da quarentena na Terra, uma raça de criaturas que foi criada à milhões de anos atrás pelos senhores negros de Orion através de engenharia genética. Estas criaturas previnem que as civilizações extraterrestres avançadas tenham acesso à Terra, mantendo a humanidade como reféns, e ameaçando com guerra nuclear. Eles escravizam a humanidade e mantém-na sob quarentena desde a Atlântida. Esta raça encarna na sua maioria em corpos humanos clonados, contudo a sua forma verdadeira resulta de várias mutações de aranhas, escaravelhos, insectos, repteis, larvas e serpentes.

A sua única motivação é o controlo total de toda a Criação, espalhando a malícia, terror e pavor. Eles controlam a humanidade principalmente através dos implantes, que criam a anomalia dos buracos negros no espaço/tempo, e que depois, desfiguram a consciência humana numa extensão irreconhecível, confundindo a mente e as emoções humanas. Os implantes são cristais programáveis que foram colocados no corpo físico e energético de todos os seres humanos na Terra com fortes dispositivos eléctricos. A corrida da raça é mantida numa estrutura de espaço/tempo distorcida, com câmaras de espaço electromagnético no tempo/espaço semelhantes às que foram utilizadas no experimento de Filadélfia. Da forma mais eficiente, eles retardam a evolução na Terra com ameaças e violência disseminadas pelos seus representantes. Eles estão infiltrados em todos os poros da sociedade humana ao fingir ser pessoas comuns.

Utilizando-se de meios ilegais, ameaças e violência, eles evitam os encontros entre as almas gémeas. Nas suas bases clandestinas secretas, criaram traumas sexuais para muitas mulheres através de violações brutais, isto a fim de bloquear o fluxo da energia sexual no planeta Terra. Eles também criaram traumas para produzir múltiplos distúrbios de personalidade, utilizando as vítimas desse processo como escravos. Felizmente, a altura de seu poder já passou enquanto as Forças da Luz os derrotam passo-a-passo.


As Forças da Luz estão a chegar para ajudar, na forma de setenta milhões de membros do Movimento da Resistência do Planeta X. Eles irão causar a mudança de sistema na Terra num futuro próximo. A antiga lenda asiática diz que os guerreiros de Shambala virão à superfície e destruirão as forças das trevas. O Movimento da Resistência desenvolveu tecnologia avançada de câmaras de tele-transporte, energia livre, clonagem e biotecnologia como um todo. Eles têm as suas cidades subterrâneas localizadas principalmente sob as maiores cidades da Europa e nos EUA. As suas cidades estão interligadas com o sistema MHD de comboios-tubo, que atingem velocidades até 15.000 mph. A sua civilização subterrânea é um sucessor do reino de Agartha, que foi quase destruída pelos ataques das forças das trevas entre 1996 e 1999.

O núcleo das Forças da Luz são representantes da rede Atlante. Este é um grupo de poucos milhares de indivíduos com uma vibração espiritual muito alta que mantém permanentemente a pureza do legado da Atlântida desde os tempos da própria Atlântida. Os Atlantes têm as suas residências subterrâneas em alguns locais escolhidos sob os Himalaias, sob o sul da Califórnia, sob alguns atóis perto do Taiti e sob o lago Titicaca. Eles inspiram os indivíduos nos seus ideais a criarem uma sociedade harmonizada que será conhecida pelo nome de Nova Atlântida.



Fonte: http://shavertron.com/ishtar.html
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)